Papo Torto
Pular

Crítica – Manchester À Beira-Mar

Publicado:   janeiro 16, 2017   Categoria:Criticas , Filmes e séries , OpiniãoEscrito por:Bruno Castro

Manchester by the Sea – Após a morte de seu irmão, Lee Chandler (Casey Affleck) é forçado a retornar à sua cidade natal para cuidar de seu sobrinho. E toda essa situação desencadeia novamente traumas de seu passado familiar.

Da esquerda para a direita: C.J. Wilson, Jami Tennille, Casey Affleck e Lucas Hedges.

A Direção e o Roteiro são de Kenneth Lonergan, roteirista de Gangues de Nova York (Martin Scorcese, 2002) e Margaret, onde também deixa sua marca como diretor. Aqui, Lonergan nos traz uma obra que trata sobre a insuperabilidade de certas coisas em nossas vidas. Reflete sobre o peso das palavras, insultos e julgamentos sobre aqueles que carregam um erro irreparável em suas costas. Ele procura nos mostrar que o tempo pode sim ser, para algumas pessoas, incapaz de curar marcas profundas de seu passado.

kenneth-e-casey
Namore com alguém que olhe para você como Kenneth Lonergan olha para Casey Affleck.

Casey Affleck é a peça-central do longa. Ele interpreta Lee Chandler, um “faz tudo” que vive uma vida monótona e solitária. Vencedor da categoria Melhor Ator em Drama do Globo de Ouro 2017®, Casey consegue transparecer muito bem essa solidão de Lee, criando um personagem intrigante e que sempre aparenta carregar o peso de seu passado. Após um período saudável de exposição, marcado por um humor irônico, a trama se desenrola sobre o drama de modo a explorar as causas de seu comportamento e isolamento. Muito tempo de tela fica a cargo de Affleck, que manipula isso muito bem, nos entregando uma atuação acentuada sobre a morbidez psicológica de seu personagem. Quem aparece poucas vezes, mas que acelera a trama, com cenas impactantes e surpreendentemente comoventes, é Michelle Williams e sua firme Randi Chandler, que tem de seguir em frente e reconstruir sua vida após um terrível acontecimento. As cenas mais impactantes são orquestradas por esses dois, mas é a presença de Lucas Hedges, na pele de Patrick Chandler, que dá leveza ao enredo, cria um alívio cômico e prepara o espectador para o clímax – ou oculta sua trajetória e traz ainda mais surpresa ao inesperado desfecho do segundo ato. É por meio dele que se desencadeiam certas atitudes de Lee e as cenas mais cômicas. O elenco também conta com a participação de Kyle Chandler, na pele de um pai atencioso e que sempre quis manter a família unida.

chandler-e-casey
Kyle Chandler e Casey Affleck em cena.

A cinematografia é de Jody Lee Lipes, que utiliza tons acinzentados para compor o drama. Ela é quase imóvel, mas muito bem idealizada e executada. Quem a acompanha, em momentos isolados, é a trilha sonora de Lesley Barber, caracterizada por canções de ópera, que são utilizadas na transição de locações e em cenas onde a confusão impera. A sua ausência, em alguns casos, é justificada em cenas onde o elenco atinge o ápice do drama – destaque para a última cena de Michelle Williams e Casey Affleck, onde os dois se entregam de uma forma que poucos atores conseguiriam reproduzir juntos.

michelle-e-casey
Michelle Williams e Casey protagonizam cenas marcantes. A performance dos dois demonstra muita veracidade emocional.

Manchester by the Sea reflete sobre o peso de nossos erros, palavras e julgamentos. Trata da dificuldade de redenção de outras pessoas e de nós mesmos sobre estes erros, e, ao mesmo tempo, da persistência de um luto.

Manchester À Beira-Mar estreia dia 19 de Janeiro nos cinemas de todo o território nacional.

Confira o Trailer!

E você? O que espera de Manchester à Beira-mar?
Deixe sua opinião abaixo, nos comentários!

Visualizacões:   81   Comentários:   5   Curtidas: 0

5 Comentários

17 de janeiro de 2017
Espero que o Casey leve de Melhor Ator no Oscar, o trabalho que ele fez nesse filme e o tanto que ele está sendo elogiado...
17 de janeiro de 2017
Naquela última cena dele com a Michelle, deu vontade de entrar na tela e entregar o Oscar pra ele logo ali! hahah Pros dois, na verdade, pq a Michelle também... QUE MULHERÃO DA PORRA!
18 de janeiro de 2017
Mas de atriz coadjuvante ninguém tira da Viola Davis em Fences...
[…] sabem lidar bem com isso, como o próprio irmão de Ben, Casey Affleck, que consegue carregar Manchester à Beira-mar do início ao fim sem transparecer artificialidade em sua […]
1 de fevereiro de 2018
[…] MELHOR FILME “A Chegada” “Até o Último Homem” “Estrelas Além do Tempo” “Lion – Uma Jornada para Casa”” “Moonlight: Sob a Luz do Luar” “Cercas” “A Qualquer Custo” “La La Land – Cantando Estações” “Manchester à Beira-Mar” […]
Comentar (pelo Facebook)

Deixe uma resposta

A password will be emailed to you.