Papo Torto
Pular

Escrevo-te essas mal traçadas linhas, meu amor

Publicado:   dezembro 1, 2016   Categoria:CriticasEscrito por:Thiago Moskito

Outro dia, uma moça, bem bonita por sinal, me perguntou de onde tiro inspiração para escrever poesias etc. Galanteador, respondi que ela seria uma ótima inspiração, hehehe. Escrever pode ser algo aprendido, visceral ou os dois.

Escrevo, geralmente, o que me vem à cabeça, mas a verdade é que você precisa ler bastante para escrever bastante — e bem, que não é meu caso. É complicado falar sobre algo que você não conhece. Não dá pra dissertar sobre Luke Cage quando você nunca viu a série ou nunca leu os quadrinhos. Se eu escrevesse sobre, seria: É um negrão, gostosão, super forte que combate o crime no seu bairro. Nem sei se é isso, mas gostosão ele é.

A poesia, pra mim, é mais visceral. Busco um sentimento e descrevo o que ele é pra mim, quando ele é, qual sua importância, as consequências de senti-lo ou não. É importante dizer que os meus textos são meus, feitos por mim, pra mim. Não é uma bíblia! Se é verdade? Claro que sim. Minha verdade, meu prisma. Há poesia de todo jeito, das mais besta as mais sacanas, as que falam de meninas que brincam com bonecas às que falar de meninos que brincam de ser bonecas. Para escrever poesia é importante ler poesias, mas muito mais importante, você tem que sentir o que escreve, independente do teor.

Meus textos tem um pouco de mim, um pouco dos amigos, um pouco das pessoas que gosto e estimo, em sua maioria. Alguns têm pessoas que odeio, assuntos idiotas e ódio mortal, muita irá e, muitas vezes, ignorância, justamente por deixar a ira tomar conta e escrever no meu lugar. Isso não é ruim, é péssimo! Quando isso ocorre, costumo não publicar e ler em outro momento para filtrar o ódio é ignorância, buscar fontes e embasamento em fatos para só então publicar.

Um bom começo para quem quer escrever é começar a escrever, oras! Se você gosta de drama, escreva uma versão de um clássico, algo assim. Se tem facilidade com humor, escreva também! O assunto mais sério pode ser tratado com humor. O humor é a melhor maneira de aprender ou ensinar, acredite. Não precisa ser forçado, claro que não. Basta ser você.

Ah, lembrei. Se você já escreve e tem vergonha de mostrar pra alguém, mostra pra todo mundo de uma vez e espera. Joga o texto no facebook como se fosse do Antero de Quental e veja o resultado. Se a galera gostar, tira onda e diz que é seu, senão, finge que não é, escreve outro e repita o passo um.

Creio não tem ajudado em porra nenhuma.
Caguei.

Abrejos!

Visualizacões:   29   Comentários:   1   Curtidas: 0

1 Comentário

1 de dezembro de 2016
kkk ou monte sua propria jorgelandia e cague para o tal do Quental eu concordo com o tudo o que disse. Escrever não é robótico, é mais natural do que "fórdico" (alusão ao fordismo) "É importante dizer que os meus textos são meus, feitos por mim, pra mim. Não é uma bíblia! Se é verdade? Claro que sim. Minha verdade, meu prisma." DA SÉRIE: COISAS QUE EU GOSTARIA DE TER CONSEGUIDO FAZER
Comentar (pelo Facebook)

Deixe uma resposta

A password will be emailed to you.