Papo Torto
Pular

#SextaTorta – Millennials, geração selfie e o futuro do país.

Publicado:   novembro 11, 2016   Categoria:#SextaTortaEscrito por:Jota1

Primeiramente, fora Temer hehe Millennials, antes chamados de “Geração Y”, são as pessoas, que, assim como eu – e imagino que você que lê este post – nasceram em meados dos anos 80 até então. São pessoas que vivem o “hoje” e tem o “hoje” moldado para elas. Somos jovens, movimentamos a economia, criamos e datamos o que está na moda, o que consumir e etc. Crescemos e estamos vivendo uma era tecnológica e quase tudo o que fazemos está relacionado com a tecnologia. Desde a forma como nos comunicamos, até a forma como fazemos dinheiro.

Como diz a Wikipedia: Essa geração desenvolveu-se numa época de grandes avanços tecnológicos e prosperidade econômica, e facilidade material, e efetivamente, em ambiente altamente urbanizado, imediatamente após a instauração do domínio da virtualidade como sistema de interação social e midiática, e em parte, no nível das relações de trabalho. Se a geração X foi concebida na transição para o novo mundo tecnológico, a geração Y foi a primeira verdadeiramente nascida neste meio, mesmo que incipiente.

Podemos ler o parágrafo acima e dizer: “É NOIS!” ok. Perceba qualquer propaganda/perfume hoje em dia: Um cara na casa dos 25/30 anos, barba cerrada, sabe usar tênis com paletó, As meninas rodando com seus vestidinhos indie e tal. Essa galerinha ae. Nois! Apesar de eu achar um tanto estranho que o termo correlacione os nascidos nos anos 80, que são adultos hoje, e os nascidos nos anos 2000, que são adolescentes. Parece que há um abismo cultural e de referências entre as duas gerações.

Enfim, se identificou né?! Ok. Vamos lá: A ideia deste texto é olhar pra frente. Renato Russo e outros poetas de outrora cantavam que “O Brasil é o país do futuro” , futuro esse, claro, que é feito por nós. Eu acompanho com bastante interesse – e preocupação no mesmo nível – as diversas pesquisas que surgem falando sobre como a juventude atual tem impactado no comportamento da sociedade, para entender melhor que é essa galera, o que pensam, o que esperam do futuro.

mememeNo quesito preocupação, podemos olhar pelo lado pessimista. Em 2013 a revista TIME “elegeu” os Millennials como “Pessoa do Ano”. A “Me, Me, Me Generation“, expondo todo o narcisismo que nos ronda, no qual eu tenho meu termo particular: “Geração Selfie”. Muita gente se mostra demais, sem se importar com o que pensa, e com o que pensam disso. A revista ainda classificou essa galera como “Preguiçosa, ansiosas e alienadas”. A necessidade de auto-afirmação, as câmeras frontais dos inseparáveis celulares, os programas de reality-shows, as discussões em redes sociais tem bastante a ver com isso. Essa matéria do YouPix vai mais a fundo na matéria da revista.

As previsões quanto a qualidade de vida não são das melhores. Não temos tempo, nem dinheiro para porra nenhuma! Aquela máxima dos nossos pais de que: “A cada dia que passa, tudo fica mais caro” é mais real a cada dia. Financiar um imóvel hoje em dia, significa embarcar numa dívida pelos próximos 30 anos. Isso se você conseguir um financiamento aprovado, que depende da sua renda. Se ela for um pouco mais alta, coisa de uns dois salários mínimos, você pode conseguir um subsídio mínimo do governo e: Ou se fode na entrada, ou se fode nas parcelas. A matéria do parágrafo anterior também aponta como a nossa geração sai de casa mais tarde que qualquer outra, isso quando não chega nos 30 ainda morando com os pais – Coisa que sempre achei absurda.

Aquela faculdade que não terminamos – ou não começamos. Aquele emprego que detestamos e empurramos com a barriga na esperança de nos tornarmos empreendedores ou criar um site legal e vender camisetas legais a partir dele, e nos embarcarmos em alguma atividade que resolva a equação: Satisfação pessoal x Estabilidade financeira. Sem termos uma certeza sincera sobre o futuro. Nos relacionamentos, expomos nossas caras em selfies nas redes sociais para parecermos mais atraentes, mas na vera mesmo, a coisa é outra. Em 2013, meros 26% dos jovens adultos entre 18 e 33 anos norte-americanos estavam casados, e se a tendência continuar, um quarto dessa geração vai ficar solteira até os 40, talvez mais. Há evidências de que a própria instituição do casamento está desmoronando: um estudo diz que 43% dos millennials apoiam uma forma de casamento que permita que o casal se dissolva depois de dois anos de “test drive” – como diz essa matéria da Vice. Não que o casamento seja A fórmula da felicidade, mas o que se nota – twitter que o diga – é que a solidez das relações humanas tem cada vez ficado mais fracas. Nos fechamos cada vez mais avatares em redes sociais e assim nos afastamos das pessoas. O recém passado ENEM evidenciou uma coisa no mínimo preocupante: As inscrições da prova são no início do ano, a prova em novembro, mesmo assim, muita gente chegou atrasada e virou meme, quase merecidamente. Enquanto isso, jovens acampam a espera do show do Justin Bieber. O show acontecerá em março do ano que vem. Isso mesmo, os fã irão acampar POR CINCO MESES a espera do show. Chupa essa Beatlemania! Ainda no campo das relações, segura mais essa pesquisa:

Millennials são geração que faz menos sexo desde nascidos em 1920, aponta estudo

Ainda tem aquela galera do politicamente correto, do #MiMiMi das tretas políticas e que defendem e votam em Bolsonaro, Trump e Temer – Temer não porque ele não foi votado, hehe. Essa derrocada conservadora, que visa que o futuro cada vez mais depende do passado, é assustadora. “Ah mas eu vou votar no Bolsonaro, por quê no PT só tem ladrão e ele vai dar fim nos bandidos”. Cara, se a sua maneira de argumentar é essa, seguindo a linha “Bandido bom é bandido morto” – como METADE dos brasileiros atuais pensam realmente você quer mais que o investimento em educação congele mesmo. Pra quê investir em educação quando podemos simplesmente MATAR a bandidagem né?! Ao invés de buscar a raiz do problema, que é educação básica e oportunidade de emprego sem distinção de cor ou condição social? Foda né?

Tem sim uma galera que faz bonito. Que luta por um país melhor. Que aproveitou a internet e sua capacidade democrática de informação e cria conteúdo bacana, seja de ativismo, de empoderamento ou mesmo de humor, como o Whinderson Nunes o fez, inclusive, o talentosíssimo jovem do Piauí, YOUTUBER ENTRE OS MAIS INFLUENTES DO MUNDO, foi uma das coisas mais legais que surgiram na internet nos últimos anos, ao invés de alguns que só ligam a câmera para reclamar da vida, Whinderson tem uma ótima história de vida e mesmo que você não goste dele, seu talento como humorista é inegável. Além disso, sobre os Youtubers, galera que exerce fortíssima influência hoje em dia – basicamente, todo Millennials – recomendo bastante esse artigo do YouPix.

whindersson-nunes

Apesar de tantos parágrafos pessimistas, quando estava fazendo um clipping básico para esse texto, me deparei com esse aqui da Bia Granja, ligeiramente otimista e pé no chão, quanto ao papo recorrente de que “essa geração está perdida” e que “A melhor geração foi a dos anos 80/90”. Fica claro que esse assunto é recorrente e apesar de os dias de hoje parecerem temerosos – foi mal pelo trocadilho – a gente consegue notar um ligeiro avanço em alguns aspectos.

“Da mesma forma que defendemos que não podemos roubar a infância de nossas crianças, acredito que também não devemos roubar a adolescência de nossos adolescentes. Adolescentes serão adolescentes, em qualquer geração. Ninguém nasceu desconstruído e com uma compreensão profunda sobre todas as coisas certas e erradas da humanidade. Nem você!” – Bia Granja, co-fundadora do YouPix.

Enfim, como o texto ficou maior do que eu esperava, só vou colocar algumas observações aqui para melhorar sua leitura. Obs 01: O texto vai ficar bem mais bacana se você considerar os links que eu coloquei. Eles tem outras matérias a respeito do assunto e com todos os dados relevantes sobre o assunto. Não seja um Millennial preguiçoso, leia porra! Obs 02: Não é necessariamente um texto pessoal. Há alguns parágrafos que não tem nada a ver comigo, como no caso onde falo sobre os relacionamentos. O que foi exposto ali foram dados gerais. Eu mesmo sou casado e vou muito bem nessa área, obrigado. Obs 03: Fica com essa música do Tears for Fears que nasceu justamente quando a geração dos Millennials nasceram e ela.

 

Visualizacões:   54   Comentários:   3   Curtidas: 0

3 Comentários

14 de novembro de 2016
Fala seu arrombadinho mto bem casado e cheio de ideias cabulosas sobre as gerações Esse entra no time dos textos que eu gostaria de ter feito. Achei fandárdigo. Agora seu arrombadão, quando colocar um link, manda que seja aberto em outra aba. Pois não quero sair daqui para ler alí.
16 de novembro de 2016
kkkkkkkkkkkkkkk Foi mal mano. Eu não reparei porque já tenho o costume de clicar com o direito =]
[…] no texto do mano Jota1 que a ex geração Y, agora atende por Millennials. Em resumo, abrange os indivíduos nascidos […]
Comentar (pelo Facebook)

Deixe uma resposta

A password will be emailed to you.