Papo Torto
Pular

Doutor Estranho não é só um filme sobre super herói, como é o de mais super herói de todos.

Publicado:   novembro 9, 2016   Categoria:Filmes e séries , OpiniãoEscrito por:Italo Goulart

Finalmente assisti ao esperado Doutor Estranho, e apesar de eu achar que a formula Marvel não tenha funcionado bem no filme do ano, Capitão América: Guerra Civil, ela parece ter se reformulado e reforçada nesse ultimo filme.

Esse foi o ano de ser arriscar em produções de personagens nem tão conhecidos assim, Deadpool, Esquadrão Suicida, Luke Cage e como não se tinha nada a esperar , as produções da Marvel foram muito mais eficientes em trazer algo no minimo satisfatório.

Dos citados, o único que tinha uma hq que estava com visibilidade interessante era o Deadpool, mas a proposta das revistas desse personagem sempre foi uma tanto pobre e superficiail, as histórias eram chatas, mas a verdade é que faz sucesso pelo seu jeito “BR HUE” sem noção, humor negro e escrachado que muita gente gosta. Já os outros personagens nos últimos anos ficaram em segundo plano e recomeçaram a vender pela noticias de séries e filmes, com Punho de Ferro e Os Defensores vai ser do mesmo jeito.

Voltando ao Doutor Estranho e ao titulo, sei que é uma ideia muito batida e tão clichê que a gente nem liga mais hoje em dia, de um ser humano normal ter que abrir mão de todas as suas ideias e conceitos e mudar totalmente por algo e/ou alguem, mesmo que o gatilho pra isso seja totalmente egoísta, e seguir a tão gasta “Jornada do Herói”, mas em tempos de intolerância e de preconceitos das mais variadas formas, não podemos deixar isso passar em branco. E apesar de ser um conceito batido, hoje em dia, não podemos desconsiderar que o personagem foi criado nos anos 60.

doutor-estranho-magia-nao-tera-explicacao-cientifica-no-filme_f

Voltando ao titulo de novo, não é só mais um filme de herói por quê?

Justamente por ele ser só um humano, egoísta, medroso e egocêntrico que no final entende a necessidade de mudança, não só para um bem maior, como para melhorar a si mesmo. Mostra a fragilidade física e psicologica, que mesmo que se tenha muito conhecimento sobre o mundo e não sobre si mesmo, não vale de muita coisa. A capacidade de adaptação e de enfrentamento de obstáculos, isso tudo é o melhor poder do ser humano e dessa vez isso não ficou tão em segundo plano assim.

Quase parece a história do Tony Stark, né? Menos porque ele não é nada altruísta e tudo o que ele faz é por puro interesse e não pra ajudar ninguém, podem falar do já citado Guerra Civil, mas tudo que motivou ele foi culpa, não vontade de ajudar.

Por que ele é o mais de super herói de todos?

Por resgatar a ideologia que os super heróis tem carregado esse tempo todo, mas que foi esquecida ou não é muito usada por achar que todos já sabem, dee se superar e de se melhorar. Não é simplesmente conseguir um poder e sair fazendo coisas heroicas por aí e carregando suas grandes responsabilidades, ele foca mais na humanidade do personagem do que no super herói em si.

E nós brasileiros sabemos e já sofremos da falta de empatia de médicos e afins, não todos, claro, mas sua esmagadora maioria, e isso é um ponto maior para o personagem do Doutor Estranho.

Um melhor representante nos quadrinhos para o mais humanamente possível em questões psicológicas para mim, e por esse motivo ele ser meu herói preferido, é  o Demolidor, mas na série essa parte é tratada de forma tão superficial, lá focam nos poderes e capacidades em detrimento dos problemas psicológicos característicos do personagem, o que é uma pena.

Enfim, não sei se falei o que queria, se deu pra entender o que falei, mas é isso.

 

Visualizacões:   49   Comentários:   1   Curtidas: 0

1 Comentário

9 de novembro de 2016
Entendi o que você quis dizer e achei esse(s) ponto(s) sensacionais no filme e tratados de uma maneira sensacional. Achei brilhante também, como ainda em treinamento, ele mantém alguns preceitos médicos - como quando ele mata um dos asseclas do Kalécius e se sente mal por isso: "Eu acabei de matar um homem, e fiz um juramento de que deveria salvar vidas, não tira-las" Acho um gancho legal para elevar o lado heroico de Strange. A relação dele com a morte também, que como médico, ele aprendeu a evitar, mas acaba entendendo que ele não pode temer a morte, pois ela é certa para todos. Enfim, há muitos pontos a serem observados nesse filme. Realmente foi um puta filme!!
Comentar (pelo Facebook)

Deixe uma resposta

A password will be emailed to you.