Papo Torto
Pular

VMA 2016 – Previsível e bobo, o Pop já foi mais interessante…

Publicado:   agosto 29, 2016   Categoria:MúsicaEscrito por:Jota1

Uma foto publicada por MTV (@mtv) em


Enquanto na sexta passada eu comentava que a MTV já teve tempos melhores, com os programas “MTV Unplugged” onde artistas de nome davam uma vida as suas composições e cujos programas serão reexibidos no canal MTV Classics, a emissora principal encara uma atual cena Pop sem muitos nomes impactantes e uma fórmula datada do seu anual VMA – Vídeo Music Awards.

Parece que fiz de propósito, mas não foi. Sério! O abismo cultural entre as épocas – O MTV Unplugged se firmou nos anos 90, melhor década musical para muitos (Eu incluso) – ficou mais claro ainda no programa de ontem. Eu nem tinha me ligado que iria passar o VMA e, olhando algumas cenas do programa e os premiados, fiquei aliviado por ter escolhido ir dormir.

Vamos lá: Kanye West não roubou o prêmio de ninguém, só ficou num bla-bla-bla sobre o vídeo patético de “Famous” e apresentou o clipe de “Fade“. Um vídeo ruim e uma música idem. Adele não apareceu e com isso ninguém dormiu, aliás NENHUM britânico apareceu. Nem os figurinhas do Coldplay (Dá uma tristeza em pensar como essa banda era boa e se perdeu…) apareceram. Justin Timberlake e aquela música nova sem graça? Não. Lady Gaga? Não! Justin Bieber? Nadicas. Britney Spears, parecendo uma lutadora de Wrestling fez uma apresentação mais para divulgar seu álbum novo do que outra coisa. Ela parece aceitar que o tempo dela já foi e se aceita mesmo é a coisa mais consciente que ela faz.

Rock? Nenhum. Rap? Muito menos. Tiveram uns caras esquisitos com suas correntes e gingados, tal, gang, swag, e essas porras de hoje, mas RAP MESMO, necas! Eu gosto muito da música “This Is What You Came For” do Calvin Harris com a Rihanna, mas ela ter levado o prêmio de “Melhor Vídeo Clipe Masculino” concorrendo com “Hotline Bling” do Drake, foi uma puta sacanagem. O som do canadense, pelo menos levou o prêmio de “Melhor Vídeo Clipe de Hip-Hop” com outros indicados que você olha e pensa: “What?”.

Resumindo bem, o que não será nenhum spoiler pra ninguém: Beyoncé matou a pau com seus 15 minutos no palco com uma apresentação com faixas do seu álbum “Lemonade” e confirmado o que ela é a maior estrela pop deste novo século e suas concorrentes terão que suar muito para chegar perto dela e de seu espetáculo que a Veja declarou como: “O maior espetáculo da terra“. Exagero? Pode ser. Mas a forma como essa mulher toma conta do palco, circulando por todo o cenário, num jogo de luzes e fumaças utilizadas para dar espaço entre uma coreografia e outra – e que coreografias! – é impressionante. Tudo numa perfeição implacável. Quem apostava que o prêmio de “Melhor Coreografia” seria de Justin Bieber com “Sorry“, tenho uma má notícia. Inclusive Bey levou 8 prêmios na noite, batendo o recorde que antes era de Madonna – O que confirma mais ainda que o trono Pop de hoje, é mesmo de Beyoncé.

Um (Ou alguns?) degrau abaixo de Bey (ui!) e homenageada da noite, com o Michael Jackson Vídeo Vanguard, Rihanna fez suas apresentações e tomou conta da noite. Entre hits de outrora e atuais, mostra que, assim como Beyoncé, ela evoluiu e mantem uma carreira sólida, mesmo com tantos episódios desagradáveis que tanto sabemos. Seu último álbum “ANTI” é muito bom e mostra que além de shake ass, a cantora tem baladas e hits mais moderados que caem muito bem nos ouvidos. As apresentações dela me fizeram querer demais ir num show dela.

Cara, o vídeo-music, o clipe musical hoje, em tempos de streaming, de conectividade e mais views no Facebook e em Apple Music exige do artista mais criatividade e contemporaneidade (eita!) fazendo com que o formato de clipe peça que acompanhe essa inovação. Como? Sei lá! Olha a Bey com “Lemonade” aí. Olha o vídeo sendo “consumido” com a música e não como uma mídia a parte. O vídeo musical tem que ser quase “parte” da música, como unha e carne. Como se o vídeo fizesse sentido com a música e vice-e-versa. Uma experiência auditiva e visual (Daft Punk sabe bem dosar isso) e a MTV não está sabendo acompanhar esse cenário vídeo musical e, como canal de TV – outra plataforma que a cada dia perde mais espaço – eu não sei como será o futuro da emissora. Assim como o atual cenário Pop, tão previsível, morno e desgastado, parece que a MTV está apenas seguindo o curso desse barco furado.

Nos resta rir. Rir e torcer pra que o Drake consiga de vez pegar a Rihanna de jeito. A chavecada pelo menos foi bacana

“Ela é uma pessoa que eu sou apaixonado desde os meus 22 anos de idade”

Visualizacões:   38   Comentários:   0   Curtidas: 0
Comentar (pelo Facebook)

Deixe uma resposta

A password will be emailed to you.