Papo Torto
Pular

Por que assistir Game of Thrones?

Publicado:   junho 29, 2016   Categoria:Filmes e séries , Internet , Opinião , Sem categoria , TVEscrito por:Letícia Cotta

Bom dia, boa tarde, ou boa noite, pessoa torta!

Cansado de receber spoilers? Cansado de, todo domingo, ter sua timeline do facebook inundada com informações sobre uma certa sériezinhaJuntar-se à legião: eis a questão.

Game of Thrones – Mapa de WESTEROS. Fonte: Internet.

ANTES DE TUDO, ALGUNS AVISOS:

  1. Se você, por um acaso, não está com paciência para ler toda a resenha, vá para o final do post e leia somente a listagem!
  2. Pode ler com calma, porque a resenha NÃO CONTÉM spoilers;
  3. O objetivo aqui é te dar motivos para acompanhar a história (livros ou série de TV), não contar toda a trama ou o status atual da série (isso é assunto para outro post).

Pronto? Preparado? Já pegou a pipoca? Já pegou os ovos e as pedras para linchar a redatora, caso não concorde?

Porque lá vamos nós!


Sim, grande parte da staff do Papo Torto entende seu sofrimento todo domingo, no que se remete à Game of Thrones – seja pelo excesso de spoilers para os não assinantes da HBO,  seja por não gostar ou não ter curiosidade de conhecer a série. E é justamente por isso que estamos aqui.

Por que, afinal, ver ou ler Game of Thrones?

Ignore, por um segundo, o seu lado hipster, que não gosta de assuntos mainstream. Você gosta de tomar decisões baseada na impressão e gostos de uma outra pessoa? Sim, ainda existe a opção de simplesmente ser teimoso e não acompanhar. Mas com que embasamento você criticaria e resmungaria à fundo?

Para quem não conhece, um breve resumo:

While a civil war brews between several noble families in Westeros, the children of the former rulers of the land attempt to rise up to power. Meanwhile a forgotten race, bent on destruction, plans to return after thousands of years in the North. (Em tradução livre: “Enquanto uma guerra civil envolve seriamente as famílias mais nobres de Westeros, os herdeiros do antigo governante tramam para subir ao poder. Enquanto isso, uma raça esquecida, próxima à extinção, planeja seu retorno após milhares de anos ao Norte”)

Sinopse de Game of Thrones, disponível no IMDB.
Algumas das grandes casas e ordens de Westeros, Wallpaper. Fonte: Internet.

A verdade é que, tanto nos livros como na televisão, as Crônicas de Gelo e Fogo (que deram inspiração à série de TV, Game of Thrones) tem ritmo lento, repleto de personagens e pequenos detalhes que, mais à frente, fazem toda a diferença do mundo na narrativa inteira. É aquele tipo de história que envolve o chamado “Efeito Borboleta”: nada que aparece, aparece à toa. E os mínimos movimentos tem impactos em quase todos os lugares possíveis.

Alheio à isso, a série é conhecida por ser aclamada pela crítica, e a emissora por ser recheada delas. Em outras palavras, é um produto audiovisual com uma área técnica maravilhosa, que se esforça para fazer jus ao dinheiro investido pela emissora (a tecnologia utilizada para a criação de criaturas místicas é tão forte quanto no cinema – e, para uma série conseguir chegar nesse ponto, é porque o dinheiro investido realmente deu retorno à emissora), mas que muitas vezes peca (devido a cultura do canal, uma vez que a HBO é conhecida por, basicamente, vender sexo e violência gratuita às mulheres) pelo machismo – o que tem mudado consideravelmente ao longo dos anos, principalmente graças à série, como visto na última temporada (mas não entraremos nesse assunto).

Em suma: Game Of Thrones é um prato cheio para as mais diversas críticas, mas é inegável a eloquência de sua estória, dado que o escritor atua juntamente aos roteiristas (e aprova ou não determinadas propostas). Uma prova disso é que, até a quinta temporada, um dos episódios SEMPRE era escrito pelo autor – além da cultura da série de sempre ter algo de grande impacto aos telespectadores no nono episódio.

Ao leitor ávido pela informação rápida, listamos alguns motivos para ver Game of Thrones:

  1. Desencargo de consciência. (Afinal, sempre é bom ter a própria opinião sobre algo, e não ficar se baseando na impressão e gosto dos outros);
  2. Esqueça a ideia de que Game of Thrones só tem peitos para te entreter. Aqui o negócio é política, estratégias de guerra, e ambição, aos que se interessam mais pelo enredo;
  3. Nudez feminina e masculina, para os que não se interessam pela trama política;
  4. Efeitos visuais (façam uma rápida pesquisa sobre os prêmios que a série já acumulou e entenderão);
  5. Boas críticas por parte de premiações técnicas e afins (as justificativas das premiações vão desde os efeitos computadorizados até a maquiagem);
  6. O autor dos livros (George R.R. Martin) teve Tolkien (lembram de Senhor dos Anéis e O Hobbit?) como inspiração;
  7. Enredo elaborado por mais de 10 anos;
  8. Ter assunto com os amiguinhos viciados em série na mesa de bar;
  9. Entrar na treta milenar entre os adeptos da Casa Stark e Casa Lannister (que você só vai entender depois que começar a ler ou ver Game of Thrones);
  10. Ver todo mundo se matar à toa, se você pertence à Casa Targaryen, Martell ou à Patrulha da Noite;
  11. Fazer o juramento mais badass de todos: o da Patrulha da Noite;

    A noite chega, e agora começa a minha vigia. Não terminará até a minha morte. Não tomarei esposa, não possuirei terras, não gerarei filhos. Não usarei coroas e não conquistarei glórias. Viverei e morrerei no meu posto. Sou a espada na escuridão. Sou o vigilante nas muralhas. Sou o fogo que arde contra o frio, a luz que traz consigo a alvorada, a trombeta que acorda os que dormem, o escudo que defende o reino dos homens. Dou a minha vida e a minha honra à Patrulha da Noite, por esta noite e por todas as noites que estão por vir.

  12. Ser o “Deus das tetas e do vinho”! 😉
I am the God of tits and wine (“Eu sou o Deus das tetas e do vinho”), Tyrion Lannister. Fonte: Internet.
Visualizacões:   50   Comentários:   5   Curtidas: 0

5 Comentários

29 de junho de 2016
Apesar de realmente não concordar com o "ritmo lento", o sucesso faz jus á série e o livros, como sempre, são bem mais legais.
30 de junho de 2016
O "ritmo lento" é mais no começo da série e no primeiro livro, para os que não estão acostumados com uma fantasia medieval (muita gente não gostou de Tolkien por causa disso, inclusive - e muitos amigos meus desistiram de ler as crônicas pelo mesmo motivo), mas depois de alguns acontecimentos... bem, você sabe como fica. <3 É puro amô!
30 de junho de 2016
Amei o post e mal posso esperar pra assistir a essa bagaça! =*
[…] motivos para ver Game Of Thrones? Se liga, também, nessa nossa resenha da […]
[…] motivos para ver Game Of Thrones? Se liga, também, nessa nossa resenha da série e nas duas últimas sessões de #SEXTATORTA: #1 Claire Underwood e #2 Daenerys […]
Comentar (pelo Facebook)

Deixe uma resposta

A password will be emailed to you.