Papo Torto
Pular

Sobre pausas, poder e medo

Publicado:   maio 9, 2016   Categoria:Cronica torta , Internet , OpiniãoEscrito por:Jorgelândia

A última semana foi marcada pela pausa. Tá aí uma frase que jamais estaria nos livros como modelo de como começar um texto. Naam… entrei no jogo e dei uma pausa nas boas maneiras também. A promessa era de três dias. A verdade não durou mais que um. O whats app parou. Apertaram o start do jogo e… naam, nada mudou.

Como uma sombra que mostra o que a luz escondia, o tempo off-line e sem correria nos celulares nos fizeram enxergar mais longe do que os 30cm que separam os olhos da tela. O foco não era mais medido em polegadas, fomos obrigados a encarar olhos, gentes, estranhos, parentes e estranhos parentes.

A prova de que tudo é assustador foi a pressa com que a maioria das pessoas foram atrás de uma solução para o problema que tinha tempo de vida contado, finito, efêmero e, acreditem, curto. De repente, estudiosos digitais da era moderna diagnosticaram esse medo como Fear, of missing out, “FOMO”. O que, em resumo, é o medo de está perdendo uma coisa. Uma sensação de que o melhor estar acontecendo em outro lugar e você está sozinho, em casa, perdendo o melhor da festa.

Por sorte, desse mal estamos livres. Afinal, o problema era mesmo provisório. Até o dia em que alguma mulher de algum juiz de algum desses milhões tribunais do país resolver mandar nudes para o Ricardão de novo. Aí nesse dia o FOMO “vorta”.

“ah, este medo de ficar pra trás

de não ser sempre mais

de nunca mais poder”

Mas o jogo da pausa não parou. Outra frase daquelas que mais confundem do que explicam. Nesse caso, a sombra parece mesmo esconder o que a luz evidencia.

O que quero dizer na verdade é que, nessa mesma semana, pausaram também o poder de um certo cara, desses que são bem poderosos (ou acham que são) e que, por isso, deseja fazer dessa uma outra pausa finita, efêmera, curta. Deve ser viciante esse tal do poder. Não sei, nunca o tive. Mal consigo controlar a roupa que vou usar amanhã. Depende mais da disponibilidade de tempo de quem as limpa e o quanto o sol está disposto a secá-las do que de fato o estado de espírito que quero evidenciar.

Mais um mal do qual estou livre. Um vício do qual não experimentei. E, para ser sincero, é melhor que seja assim. Felicidade está em ter o tempo e o silêncio que se quer e deseja.

Em ambas as pausas o que há em comum é o medo. Mas não é o medo do próximo ou do exterior. É o medo de si. Como se enfrentar o dia a dia do mundo lá fora fosse menos arriscado do que enfrentar o espelho. Não à toa a história mostra primeiro a corrida do espaço… depois a corrida do espelho.

Visualizacões:   90   Comentários:   13   Curtidas: 0

13 Comentários

9 de maio de 2016
Ual! Espero que não sofra desse FOMO. Fiquei uns bons meses sem Facebook e te digo que foi libertador. Medo mesmo é desses novos tempos em que parece que a vida real só faz sentido se houver vida digital...
9 de maio de 2016
Alguns dias sem facebook é tipo passar dias numa clínica de reabilitação para dependentes químicos.
Mariana Valentim
9 de maio de 2016
Nossa! Digno de reflexão. Realmente estamos presos e reféns das tecnologias, mas quando elas são usadas para o bem, para nos acrescentar algo, não vejo problema algum. O problema é que não estamos sabendo fazer o uso correto dessas ferramentas, e quando nos damos conta, olha lá a gente grudado nos nossos smartphones. Também pudera! Tem criação mais genial de que esta? Claro que sim! Rs. Mas tudo isso é sem dúvida uma das maiores descobertas dos últimos tempos. E a gente se vê assim, vidrado. Afinal é moleza mandar a tropa atacar da tela do computador, sem o cheiro, sem o som, sem ter nunca estado lá, sem ter que voltar pra ver o que restou. Abraço!
9 de maio de 2016
A encruzilhada fica entre saber a dose que salva e a dose letal... de vida real e vida digital
9 de maio de 2016
Já comentei aqui que sou seu fã?
9 de maio de 2016
Ai que lindo!
Jessica Barbosa
9 de maio de 2016
Todas as vezes que decido ficar sem whats, sem facebook, sinto como se meu dia aumentasse e fico mais produtiva, igual a todo vício que é pior no início...O texto me faz refletir que eu deveria me livrar desses vícios. Muito bom! ?
9 de maio de 2016
Texto do papotorto faz ações do whatsapp caírem 40%. Usuários se dizem viciados e querem se livrar disso kkk obrigado.
9 de maio de 2016
show de bola, curti como passou a ideia ^^.
Adrienne Paulino
9 de maio de 2016
Excelente ,Realmente eu acho que no ritmo que a vida é tocada hoje é meio complicado ficar sem celular, mas algumas vezes ele acaba também nos privando de viver plenamente alguns momento.
Keila
9 de maio de 2016
Foi tão rápida essa "pausa" que nem deu pra sentir os efeitos colaterais. rsrs.
Soh Comentar
10 de maio de 2016
Não uso mais whatsapp
Manu Oliveira
20 de maio de 2016
E enquanto falamos desse assunto eu leio este texto. Que prazer em conhece lo, e nao insista! O prazer realmente é todo meu!
Comentar (pelo Facebook)

Deixe uma resposta

A password will be emailed to you.